Entidades Sem Fins Lucrativos – Entrega da ECD e ECF em 2015

Nota equipe Portal Tributário: a partir de 2016, todas as entidades imunes ou isentas deverão entregar, anualmente, a ECF, independentemente do porte (exceto as inativas) – vide http://www.portaltributario.com.br/artigos/dipj_imuneseisentas.htm.

O artigo abaixo refere-se aos procedimentos relativos ao ano de 2015.

* Por Ricardo Antonio Assolari

A Lei 12.973/2014 altera a legislação tributária federal relativa ao Imposto sobre a Renda das Pessoas Jurídicas – IRPJ, CSSL entre outras, instituiu as regras e obrigatoriedade do envio da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) que complementa as informações contidas na Escrituração Contábil Digital (ECD), bem como a substituição da Declaração de Informações Econômicas-Fiscais (DIPJ).

Quero tratar mais especificamente das entidades imunes e isentas (Associações, ONG’s e Igrejas) pois o assunto está gerando muitas dúvidas entre os contadores e dirigentes das entidades. Para o ano de 2015 relativa as informações de 2014 a DIPJ foi substituída integralmente pela ECF e ECD, não só para entidades sem fins lucrativos, mas para todos os demais tipos de empresas como Lucro Real e Presumido.

A parte boa dessas mudanças é que a Receita Federal não incluiu nas regras de obrigatoriedade o envio da ECF (antiga DIPJ) para entidades imunes e isentas, até certo limite.

Somente estará obrigada ao envio caso tenha apresentado EFD-Contribuições de forma facultativa ou esteja obrigada ao envio da EFD – Contribuições por ter apurado PIS, Cofins ou Contribuição previdenciária sobre o faturamento em valor superior a R$ 10.000,00 (dez mil reais) mensalmente.

Para facilitar o entendimento elaborei um resumo com as devidas bases legais dessas regras:

Resumo:

–  EFD – Escrituração Fiscal Digital – Contribuições: As Ongs, igrejas e associações somente estão obrigadas ao envio nos casos que ultrapassarem o valor de R$ 10.000,00 de contribuições no mês, relativas ao PIS, COFINS e CPRB.

Nota: não entram no cômputo do limite o PIS-Folha – veja artigo Entidades Imunes e Isentas – Obrigatoriedade de Entrega de ECD e ECF

Dispositivo legal: IN RFB 1.252/2012, Art. 5º item II.

–  ECD – Escrituração Contábil Digital: Obrigada somente para entidades que enviarem a EFD de forma facultativa ou estarem obrigadas.

Dispositivo legal: IN RFB 1.420/2013, Art. 3º item III.

– ECF – Escrituração Contábil Fiscal (antiga DIPJ): Não deve declarar o ECF as entidades que não enviaram a EFD e ECD, ou seja, cuja soma dos valores mensais das contribuições apuradas, seja igual ou inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais), mensais, observado o disposto na IN RFB 1252/2012.

Dispositivo legal: IN RFB 1422/2013, Art. 1º, § 2º item IV.

Registro e Autenticação da Escrituração Contábil Digital – ECD

Todas as empresas obrigadas ao envio da ECD devem submeter ao registro e autenticação do referido livro digital na junta comercial, exceto as entidades imunes, isentas e empresas obrigadas ao envio da ECD que tem seus atos registrados em cartórios as quais estão dispensadas do registro da escrituração contábil digital – essa previsão está contida no Art. 1º, § 2º da Instrução Normativa RFB 1.420/2013.

Ricardo Antônio Assolari é empresário Contábil no Paraná, Consultor, contador do portal tributário, membro do Grupo de Estudos do Sescap-PR,  Sócio da Assolari Assessoria Contábil, atua a mais de 15 anos assessorando empresas e filiais de diversos ramos sediadas em Curitiba e no Paraná –  www.assolari.com.br

*Reprodução autorizada, desde que citado a fonte e site do autor.

Coletânea de assuntos relativos à teoria e prática da contabilidade do terceiro setor (ONG`s). Além de uma linguagem acessível, é uma obra atualizável. Inclui a legislação contábil vigente aplicável ao terceiro setor. Contém modelos de planos de contas e estatuto de ONG, exemplos de lançamentos contábeis de entidades sociais, entre outros. Clique aqui para mais informações. Contabilidade do Terceiro SetorMais informações

Pague em até 6x sem juros no cartão de crédito!

ComprarClique para baixar uma amostra!

Sobre Portal Tributário
Informações Tributárias, Contábeis e Trabalhistas

55 Responses to Entidades Sem Fins Lucrativos – Entrega da ECD e ECF em 2015

  1. Carlos Eduardo Gouvea de Oliveira says:

    Obrigado Ricardo foi muito esclarecedor, contudo só tenho uma dúvida, se puder me ajudar. Com relação aos livros, a empresa em que trabalho é isenta e envia EFD e consequentemente, enviará a ECD, mesmo assim terei de fazer a autenticação dos livros nos cartórios? Mais uma vez muito obrigado, sua publicação foi muito rica.

    Curtir

  2. Édina says:

    Olá! Quanto as associações sem fins lucrativos que não se enquadram nas obrigatoriedades de entrega da ECD e ECF, estarão obrigadas a qual declaração? A DIPJ continuará existindo para esses casos ou a Receita Federal irá criar uma nova declaração para elas? Grata!

    Curtir

    • Até o momento não houve qualquer norma da Receita Federal indicando qual o demonstrativo que as entidades isentas deverão apresentar, quando não obrigadas à ECD ou ECF.

      Curtir

    • Com base no Art. 1º, § 2º da Instrução Normativa RFB 1.420/2013 não haverá a necessidade de registro da ECD se a entidade e ou empresa tem seus atos registrados no cartório. Entendo que essa previsão ocorre porque, ainda, a Receita Federal não tem meios de controle das informações arquivadas em cartórios, diferentemente o que ocorre nas juntas comerciais. Ricardo Assolari.

      Curtir

      • Wanderley says:

        Sr. Ricardo, em resposta ao fale conosco do SPED/RFB , fui informado que, caso a entidade entregue a EFD de forma facultativa, não haverá a obrigatoriedade da entrega da ECD.Porém, haverá a entrega da ECF.por todas elas, independente da entrega ou não da ECD.. Por gentileza, aguardo seus comentários para dirimirmos dúvidas.
        Grato

        Curtir

  3. Jadir Sant´Anna says:

    É complicado ! A RFB vai ou não dispensar as informações das entidades imunes ou isentas que não apresentaram EFD ?
    jadirsantanna@bol.com.br

    Curtir

  4. jrcontador says:

    Boa tarde.

    No Dispositivo legal: IN RFB 1.420/2013, Art. 3º item III não há qualquer menção, quanto a obrigatoriedade da entrega da ECD – Escrituração Contábil Digital por entidades imunes ou isentas que entregaram, em relação aos fatos geradores de 2014, EFD – Escrituração Fiscal Digital – Contribuições de forma FACULTATIVA.

    Somente a entrega OBRIGATÓRIA da EFD afasta a dispensa da ECD para estas entidades.

    Curtir

  5. Eliane says:

    Sr. Ricardo
    As Associações sem fins lucrativos que não se enquadram nas obrigatoriedades de entrega da ECD e ECF, estarão obrigadas a EFD??

    Curtir

  6. hailton says:

    Sr. Ricardo,
    é bom saber que tem pessoas preocupadas em elucidar estas mudanças propostas pela RFB, que as vezes se tornam dificeis de entender. trabalho com conselhos escolares e vinhamos declarando normalmente a DIPJ, DCTF e RAIS, minha duvida é com relação da DIPJ, se não somos obrigado a declarar esta, teremos que fazer ECF ou outro em substituição a DIPJ?

    Curtir

  7. Dener says:

    Em uma consultoria com Advogados, o PIS sobre folha e retenção de serviços por prestadores está fora do cálculo para a entrega do EFD. Existe uma consulta na RFB e na resposta está escrito isso. Não me lembro de cabeça agora, mas vou procurar.

    Curtir

  8. Thiago Vargas says:

    Sr. Ricardo, bom dia,

    A PJ Imune/Isenta, não está obrigada a apresentar SPED-ECF, e também até o momento não existe mais uma DIPJ ou substituta para 2015.

    Porém, foi registrada ata de Dissolução em 16/06/2015 e pelas regras da DIPJ deveria ser entregue uma DIPJ de Extinção até o prazo de 31/07/2015. Como fazer? Você acha que devemos apresentar SPED-ECF com a extinção mesmo sem a obrigatoriedade?

    Curtir

  9. Marcus Vinicius Flora says:

    Amigo, boa tarde.

    Assim, trocando em miúdos, a DIPJ para imunes e isentas com contribuições abaixo de R$ 10.000,00 acabou?

    Não precisamos mais declarar?
    De acordo com a legislação, foi o que entendi.

    Abraços

    Curtir

    • A DIPJ foi extinta. Agora, existe a ECF. Mas nem todas entidades são obrigadas à entrega da ECF. Aguardamos ainda uma possível regulamentação da Receita sobre as entidades dispensadas da ECF, se deverão entregar alguma outra declaração ao órgão.

      Curtir

      • Janderlei Vieira says:

        Não há o que aguardar regulamentação da Receita!
        A norma é clara:
        Conforme disposto no inciso II do art. 5o da Instrução Normativa RFB no 1.252, transcrito abaixo:
        “As pessoas jurídicas imunes ou isentas que não estão obrigadas a entregar a EFD-Contribuições, conforme Instrução Normativa RFB no 1.252, de 1o de março de 2012, também não estão obrigadas a entregar a ECD e a ECF. Também não entregarão a DIPJ, pois ela foi extinta.
        Essas pessoas jurídicas podem entregar a ECD e a ECF de forma facultativa.”

        Curtir

  10. Janderlei Vieira says:

    As pessoas jurídicas imunes ou isentas que não estão obrigadas a entregar a EFD-Contribuições, conforme Instrução Normativa RFB no 1.252, de 1o de março de 2012, também não estão obrigadas a entregar a ECD e a ECF. Também não entregarão a DIPJ, pois ela foi extinta.

    Essas pessoas jurídicas podem entregar a ECD e a ECF de forma facultativa.

    Curtir

  11. Jéssica says:

    Bom dia!!!

    Tenho uma dúvida quanto a ECF de uma entidade Isenta, onde a entidade não era obrigada a entregar a ECD, porém como é uma entidade que presta contas e exige da entidade a Entrega da ECD, então por isso foi entregue. Agora sou obrigada a entregar a ECF ???

    Curtir

  12. Danielle says:

    Bom dia!!

    Entidade imune e isenta que tenha entregue a ECF de forma facultativa, está obrigada a entrega da ECD?

    Curtir

  13. Marcelo de Paula says:

    Boa tarde, pessoal!

    Em recente comunicado, a RFB esclareceu sobre à entrega da EFD Contribuições, ECF e ECD.

    Conforme comunicado, o valor das contribuições não se inclui o Pis-folha na dispensa ou obrigatoriedade à entrega da EFD Contribuições, ECF e ECD. O valor destas contribuições incidem (sobre as receitas) obedecendo o valor limite de R$ 10.000,00 (dez mil reais).

    Imunes e Isentas – Obrigatoriedade de entrega de ECD e ECF

    Conforme disposto no inciso II do art. 5o da Instrução Normativa RFB no 1.252, transcrito abaixo, o parâmetro de valor para a dispensa de obrigatoriedade corresponde ao valor das contribuições (PIS, Cofins e CPRB) objeto de escrituração, que vem a ser as contribuições incidentes sobre as receitas mensais, seja inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais). Nesse valor que dispensa da escrituração digital, não se inclui o valor da contribuição incidente sobre a Folha de Salários.

    Art. 5o Estão dispensados de apresentação da EFD-Contribuições:

    …..

    II – as pessoas jurídicas imunes e isentas do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), cuja soma dos valores mensais das contribuições apuradas, objeto de escrituração nos termos desta Instrução Normativa, seja igual ou inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais), observado o disposto no § 5o;

    Desta forma, caso a pessoa jurídica imune ou isenta não tenha apurado as três contribuições incidentes sobre receitas (PIS, Cofins e CPRB) em montante superior a R$ 10.000,00 reais, está dispensada da apresentação, no correspondente mês, da EFD-Contribuições.

    Em relação à ECD e a ECF, que tem periodicidade anual, vindo a pessoa jurídica imune ou isenta a sujeitar-se à obrigatoriedade da EFD-Contribuições em pelo menos 1 (um) mês de determinado ano calendário, sujeita-se, por consequência à obrigatoriedade da entrega da ECD e da ECF em relação ao ano calendário em questão, mesmo que nos demais meses do ano calendário, o valor das contribuições (sobre as receitas) a recolher seja inferior a R$ 10.000,00.

    As pessoas jurídicas imunes ou isentas que não estão obrigadas a entregar a EFD-Contribuições, conforme Instrução Normativa RFB no 1.252, de 1o de março de 2012, também não estão obrigadas a entregar a ECD e a ECF. Também não entregarão a DIPJ, pois ela foi extinta.

    Essas pessoas jurídicas podem entregar a ECD e a ECF de forma facultativa.

    Link: http://www1.receita.fazenda.gov.br/Sped/noticias/2015/junho/noticia-12062015.htm

    Curtir

  14. ana says:

    trabalho para varias igrejas, e as mesmas so possui recolhimento de IRRF, teremos que fazer entrega de ECD e EFD para elas ou não. Fico preocupada pois caso fique isenta da entrega o que ira substituir a entrega da antiga DIPJ

    Curtir

  15. Fernando Mendes says:

    Prezados fica uma dúvida e acredito que houve um erro de interpretação de vocês ou meu:
    – ECD – Escrituração Contábil Digital: Obrigada somente para entidades que enviarem a EFD de forma facultativa ou estarem obrigadas.
    III – as pessoas jurídicas imunes e isentas que, em relação aos fatos ocorridos no ano calendário, tenham sido obrigadas à apresentação da Escrituração Fiscal Digital das Contribuições, nos termos da Instrução Normativa RFB nº 1.252, de 1º de março de 2012. (Redação dada pela Instrução Normativa RFB nº 1.510, de 5 de novembro de 2014)

    Bom vocês informaram que as imunes e isentas que são facultadas a entregar a EFD são obrigadas a entregar ECD, porém a IN não diz sobre as entidades que entregaram facultativamente a EFD, logo a base legal dada para tal afirmação está incorreta, teria alguma outra?

    Curtir

  16. Ivonilde says:

    Boa tarde, excelente texto, muito esclarecedor.
    Parabéns! !

    Curtir

  17. De tudo que li ententendi que, no caso de Associação de Moradores de Bairro que não tenha movimentação financeira, não precisa apresentar nenhuma Declaração a Receita Federal. em 2015. Certo? Se algum espacialista na área, puder me responder, envia para o e-mail-sscerqueira@yahoo.com.br. Obrigado.

    Curtir

  18. Saliba Suar says:

    Empresa (lucro presumido) sem faturamento em 2014, apenas despesas para mante-la atividada, está obrigada a entregar EDF – ECD e ECF? Gostaria de um esclarecimento.

    Curtir

  19. fabiano alves de almeida altino says:

    bom dia, faço escrita de igrejas consideradas pequenas, não tem funcionarios, o montante de dízimos e ofertas se chegar a 5000,00 é muito, são igrejas de bairro, não tem sistema, nem computador, etc…. nesse caso elas estão desobrigadas de apresentar efd e ecf, pois não sei nem que informação colocar devido a realidade das mesmas. Desde já agradeço a atenção e aguardo retorno.

    Curtir

  20. marcos regis do carmo says:

    para reflexão – na pagina do SPED

    http://www1.receita.fazenda.gov.br/noticias/2015/julho/noticia-22072015.htm

    Imunes e Isentas – Solução de Consulta Cosit nº 175/2015 – Obrigatoriedade de entrega de EFD-Contribuições, ECD e ECF

    Foi publicada a Solução de Consulta Cosit nº 175/2015, dispondo sob os valores a compor o limite mensal de R$ 10.000,00, para fins de não obrigatoriedade de entrega da EFD-Contribuições, da ECD e da ECF.

    Conforme disposto no inciso II do art. 5o da Instrução Normativa RFB nº 1.252, transcrito abaixo, o parâmetro de valor para a dispensa de obrigatoriedade corresponde ao valor das contribuições (PIS, Cofins e CPRB) objeto de escrituração, que vem a ser as contribuições incidentes sobre as receitas mensais, seja inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais). Nesse valor que dispensa da escrituração digital, não se inclui o valor da contribuição incidente sobre a Folha de Salários.

    Art. 5º Estão dispensados de apresentação da EFD-Contribuições:

    …..

    II – as pessoas jurídicas imunes e isentas do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), cuja soma dos valores mensais das contribuições apuradas, objeto de escrituração nos termos desta Instrução Normativa, seja igual ou inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais), observado o disposto no § 5º;

    Desta forma, caso a pessoa jurídica imune ou isenta não tenha apurado as três contribuições incidentes sobre receitas (PIS, Cofins e CPRB) em montante superior a R$ 10.000,00 reais, está dispensada da apresentação, no correspondente mês, da EFD-Contribuições.

    Em relação à ECD e a ECF, que tem periodicidade anual, vindo a pessoa jurídica imune ou isenta a sujeitar-se à obrigatoriedade da EFD-Contribuições em pelo menos 1 (um) mês de determinado ano calendário, sujeita-se, por consequência à obrigatoriedade da entrega da ECD e da ECF em relação ao ano calendário em questão, mesmo que nos demais meses do ano calendário, o valor das contribuições (sobre as receitas) a recolher seja inferior a R$ 10.000,00.

    As pessoas jurídicas imunes ou isentas que não estão obrigadas a entregar a EFD-Contribuições, conforme Instrução Normativa RFB nº 1.252, de 1º de março de 2012, também não estão obrigadas a entregar a ECD e a ECF. Também não entregarão a DIPJ, pois ela foi extinta.

    Essas pessoas jurídicas podem entregar a ECD e a ECF de forma facultativa.

    Curtir

  21. FABIO KIRMSE says:

    Bom dia meu amigo. Muito obrigado pela sua contribuição! Foi de grande valia. Porem uma outra duvida. Se caso nós da contabilidade juntamente com a entidade sem fins lucrativos quisermos de forma facultativa enviar a ECF como fica? Posso enviar normalmente? Isso ocorre devido aos bancos e outros usuarios externos pedirem a DIPJ ou no caso do ano calendario 2014 ser ECF, para quando ocorre aumento de limite de cheque especial ou linhas de creditos. Obrigado pela contribuiçao!

    Curtir

  22. Prezado obrigado pela explicação foi sem duvida muito proveitosa para mim. Esclareço: sou técnico em contabilidade e em função da minha esposa ser presidente de uma Associação de Artesanato, sem fins lucrativo e cuja receita é de R$ 150,00 mensais ou seja R$ 10,00 de cada sócio, faço a contabilidade gratuitamente e portanto desejo orientação o que devo apresentar a receita sobre essa associação. Quais minhas obrigações. Onde posso buscar mais informações sobre os cuidados fiscais e parafiscais com uma associação. Se puder me ajudar agradeço desde já.
    Obrigado
    Vanderlei

    Curtir

  23. Eliana araujo says:

    Gostaria de saber se as cooperativas que tiveram contribuições inferior a 10.000 e apresentaram Ecd contribuições são obrigadas a apresentarem Ecf

    Curtir

  24. Luis Carlos says:

    Boa noite ,
    Obrigado pelo seu artigo, foi de Grande ajuda para mim entender este assunto, porque recentemente comecei a trabalhar num escritório contábil, no setor fiscal e estou com varias duvidas a respeito fiscal.

    Obrigado

    Curtir

  25. Adriano Vieira says:

    Bom dia!! Gostaria de saber quando a entidade foi extinta (exemplo 10/2015) normalmente entregaria uma DIPJ de Extinção, nesse caso agora com faria a declaração de extinção ou não tenho obrigatoriedade de entregar nada, apenas a certidão de baixa junto a Receita Federal seria suficiente?
    Obrigado.

    Curtir

  26. Leonardo Turra says:

    Muito obrigado pela informações! Me foram muito úteis. Abraços.

    Curtir

  27. Israel Ferreira dos Reis says:

    Gostei muito da forma que o assunto foi abordado, esclarecendo com detalhes o que a legislação contempla. Muito bom este Ricardo. Sou contador há mais de 35 anos e Uuuufffa esta desobrigação das Ongs e Igrejas deu uma aliviada boa em minha contabilidade. Parabéns e obrigado Ricardo pelos esclarecimentos.

    Curtir

  28. márcia christina marcante monteiro says:

    Boa Tarde.
    Então em 2015( ano base 2014) as associações estão desobrigadas a entrega da ECF, mas em 2016 (ano base 2015) terão que entregar. correto?

    Att., fico no aguardo
    Márcia Coelho

    Curtir

  29. Ângela Borges says:

    Todas as imunes e isentas indistintamente deverão entregar a ECF, mesmo não tendo receita tributada pelo Pis/Cofins? E reconhendo o Pis sobre 1% sobre a Folha de Pagamento?

    Curtir

  30. Janice Gasparotto says:

    Ricardo Antonio Assolari

    Questionamos sobre as empresas Imunes e Isentas ao IRPJ este ano estão obrigadas a entrega da ECF ano calendário 2015?

    De acordo com as Alterações dadas pela IN RFB nº 1.595/2015, a partir de 2016 (exercício 2016 ref. ao ano-calendário 2015) não haverá mais dispensa do envio da ECF para as pessoas jurídicas imunes e isentas que não estejam obrigadas a apresentar a EFD-Contribuições, ref. ao ano-calendário, segundo a IN RFB nº 1.252/2012.

    Curtir

  31. Janice Gasparotto says:

    Alterações para o ano-calendário de 2015
    Todas as imunes e isentas devem entregar a ECF, independentemente de terem sido obrigadas a apresentar a EFD-Contribuições.
    Esta mudança ocorreu com o advento da publicação da IN/RFB nº1.595/2015, que revogou o inciso IV do § 2º do artigo 1º da Instrução Normativa RFB nº 1.422/2013, que dispensava as pessoas jurídicas imunes e isentas que, em relação aos fatos ocorridos no ano-calendário, não tinham sido obrigadas à apresentação da Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição Previdenciária sobre a Receita (EFD-Contribuições), nos termos da Instrução Normativa RFB nº 1.252/2012.

    Curtir

  32. Solange Pacheco says:

    Boa tarde! A instituição que trabalho e isenta do ECD mas tenho enviar o ECF. Posso enviar o ECF sem ter enviado o ECD?

    Curtir

  33. Aldacir A Correa says:

    muito proveitoso o aprendizado

    Curtir

  34. Rejane says:

    Boa Tarde!
    no escritório em que trabalho tenho um sindicato e uma associação que estão sem movimento, preciso declarar ECF sem movimento?

    Curtir

  35. Aleesnadra Santos says:

    Bom dia! Sou de uma igreja pequena e não tem funcionários e o dizimo não chega a R$ 3.000,00 reais,gostaria saber e obrigada a passar a DCTF.

    Obrigada!

    Curtir

  36. cicera says:

    ola bom dia
    sindicato e associação estão obrigadas a entrega da ECD e ECF?

    Curtir

  37. Dionisio Pacheco says:

    Uma APMF – Associação de Pais e Mestres de um COLEGIO, que não teve movimento: Está sujeito a entrega de que declaração de 2017? Seria só a DCTF 2017 sem movimento, uma vez que aquela dspj inativa foi extinta?

    Curtir

  38. Ativo says:

    BOM DIA. SOU VICE PRESIDENTE DE UMA IGREJA PEQUENA, E SOU CONTADORA, TENHO O CERTIFICADO DIGITAL. DESDE QUE EU FAÇA UMA PROCURAÇAO ELETRONICA DA IGREJA PARA MIM, OU DE OUTRAS IGREJAS CASO ACONTEÇA, EU CONSIGO TRANSMITIR A ECF E CUMPRIR A OBRIGATORIEDADE DA DECLARAÇAO DENTRO DO PROPRIO PROGRAMA DO GOVERNO?: O SISTEMA ME PERMITE CADASTRAR OS LANÇAMENTOS E ENVIAR? OU TEM QUE POSSUIR UM SOFTWER DE PROGRAMA SOMENTE PARA MIGRAR OS DADOS CONTABILIZADOS? ATE PORQUE FAZER A CLASSIFICAÇAO/ DECLARAÇAO QUANTO AO SALDO INICIAL, DESPESAS, RECEITAS E SALDO FINAL EU SEI, SOMENTE GOSTARIA DE SABER SE CONSIGO DECLARAR SEM UM PROGRAMA CONTRATADO, SOMENTE GERANDO DENTRO DO SISTEMA ECF.

    DESDE JA AGRADEÇO

    ATT

    Curtir

  39. Maria Gorete Tolentino says:

    Gostaria de saber se e obrigatório o Conselho Escolar declarar a ECF?

    Curtir

  40. ROSANGELA SANTOS MARTINS says:

    BOA TARDE , SOU CONTADORA DE UMA ESCOLA DA PREFEITURA CMEI SEM FINS LUCRATIVOS , ATÉ 2015 APRESENTAVA DECLARAÇÕES INATIVAS , JANEIRO DE 2016 APRESENTEI DCTF , PRESTAÇÃO DE CONTA A PREFEITURA ME EXIGIU O RECIBO DA DECLARAÇÃO DA ECF , DE 2015 , ENVIEI HOJE 17/08/2017 GEROU MULTA DE R$ 3.250,00 , DESCONTO DE 50% IREI PAGAR R$ 1625,00 , NÃO ENTENDI NADA , ENVIEI ZERADA , O POR QUE O VALOR DESTA MULTA TÃO ALTA , ALGUEM PODERA ME AJUDAR ? SERA QUE O VALOR OCORREU DEVIDO A VERBA QUE ULTRAPASSA DE R$ 10.000,00 ?

    Curtir

Obrigado pelo seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: