Boletim Tributário e Contábil 19.06.2018

Data desta edição: 19.06.2018

ENFOQUES
Receita Restringe Compensação de Créditos
MF Publica Despachos que Favorecem Contribuintes
GUIA TRIBUTÁRIO ONLINE
IRPJ/CSLL – Baixa de Bens ou Direitos
IPI – Isenção e Redução para Bens de Informática e Automação
Súmulas Vinculantes – CARF
GUIA CONTÁBIL ONLINE
Despesas de Custeio – Atividade Rural
Balanço Tributário
Ajuste a Valor Presente
ORIENTAÇÕES
Incidência de INSS, FGTS e IRRF na Folha de Pagamento
Receitas de Obras Concluídas – RET – Incorporação Imobiliária
Compensação de Retenções na EFD-Reinf
EFD-REINF
Nova Versão EFD-Reinf
EFD-Reinf: Nota Orientativa Esclarece Arredondamento
ARTIGOS E TEMAS
Como Fazer uma Pesquisa Salarial?
Custo Arbitrado – Estoques
PUBLICAÇÕES PROFISSIONAIS ATUALIZÁVEIS
Auditoria do Imposto de Renda
Manual Prático de Retenções Sociais
Como Ganhar Dinheiro na Prestação de Serviços
DICAS
Receba o boletim no seu Whatsapp! Cadastre aqui

 

Lei incentiva empresas de tecnologia e informática a investir em pesquisa e inovação

Foi publicada nesta terça-feira (12) no Diário Oficial da União a Lei 13.674/2018, que autoriza empresas de tecnologia da informação e da comunicação a investirem em atividade de pesquisa, desenvolvimento e inovação como contrapartida para recebimento de isenções tributárias.

A lei foi sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, com uma série de vetos, como o que enquadra entre os gastos passíveis de benefício a modernização de infraestrutura física e de laboratórios nas empresas.

O texto é proveniente do Projeto de Lei de Conversão (PLV) 6/2018, decorrente da Medida Provisória (MP) 810/2017, aprovada no Senado no último dia 16.

A proposição amplia de 3 para 48 meses o prazo para as empresas brasileiras de informática, beneficiadas com incentivos fiscais associados a investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D), reinvestirem valores pendentes.

O projeto é fruto do relatório do deputado Thiago Peixoto (PSD-GO), aprovado na Câmara dos Deputados em 8 de maio. Uma das novidades incluídas pelo relator é condicionar a concessão dos benefícios fiscais à comprovação, por parte das empresas, de regularidade das contribuições para a seguridade social.

O texto original foi editado pelo Poder Executivo com o objetivo de dinamizar e fortalecer as atividades de P&D no setor de tecnologia da informação e da comunicação (TIC). Para isso, foram alteradas as Leis 8.248, que trata da capacitação e da competitividade do setor de informática e automação, e 8.387, ambas publicadas em 1991.

Essas leis já exigem que empresas apresentem contrapartida para recebimento de incentivos fiscais. A contrapartida pode ser com investimentos em P&D de acordo com as leis. A nova lei, por sua vez, acrescentou como possibilidade os investimentos em inovação.

Vetos

Foi vetado o enquadramento de gastos como pesquisa, inovação e desenvolvimento com aquisição, implantação, ampliação ou modernização de infraestrutura física e de laboratórios. Pelo PLV enviado à sanção, esses gastos poderiam atingir até 20% do total.

De acordo com as razões para o veto, “não é razoável que gastos relativos às áreas dedicadas à administração, por não guardarem consonância direta com investimentos em PD&I, sejam ensejadores de incentivo tributário.”

Outro veto foi ao acompanhamento das obrigações de que trata a nova lei ser realizado por amostragem ou com o uso de ferramentas automatizadas, para fins de fiscalização. De acordo com Temer, “a eventual impossibilidade de utilização de ferramenta automatizada, o acúmulo de relatórios anuais de prestação de contas dos investimentos em P&D ou a mudança metodológica para a análise desses documentos não se configuram justificáveis para a redução, via amostragem, das obrigações da Administração Pública em relação à fiscalização das contrapartidas de investimento em PD&I das empresas beneficiárias dos incentivos.”

De acordo com o texto enviado à sanção, a partir do ano-calendário de 2015, os demonstrativos e os relatórios descritivos das atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação seriam considerados aprovados no prazo de cinco anos, salvo os casos de manifestação em contrário pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Temer vetou o trecho por considerar que “a previsão da aprovação por decurso de prazo dos demonstrativos e relatórios comprobatórios dos investimentos em PD&I não se configura adequada.”

Pela nova lei, as empresas beneficiárias encaminharão anualmente ao Poder Executivo relatórios descritivos das atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação previstas no projeto elaborado e dos resultados alcançados, além de relatório consolidado e parecer conclusivo acerca dos demonstrativos elaborados por auditoria independente, credenciada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e cadastrada no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Mas  foi vetada a necessidade do parecer conclusivo elaborado por auditoria independente a partir do ano-calendário de 2017. De acordo com Temer, será necessário mais tempo ao governo federal para elaborar as normas e fazer credenciamento das auditorias.

Agência Senado – 14.06.2018

Veja também, no Guia Tributário Online:

Reduza legalmente o valor de tributos pagos! Contém aspectos de planejamento fiscal e demonstrações de como fazê-lo. Pode ser utilizado por comitês de impostos como ponto de partida na análise de planejamento. Clique aqui para mais informações. Planejamento Tributário 

Mais informações

Edição Eletrônica Atualizável

ComprarClique para baixar uma amostra!

Boletim Tributário e Contábil 12.06.2018

Data desta edição: 12.06.2018

PARCELAMENTOS TRIBUTÁRIOS
Receita Fixa Prazo e Regras para Consolidação de Débitos do PRT
Empresas com Débitos do Simples Poderão Parcelar Dívida até 09/Julho
GUIA TRIBUTÁRIO ONLINE
Lucro Real – Créditos do PIS e COFINS – Tratamento Contábil
Economia Tributária: IPI – Incentivos Regionais
IRPF – Atividades Rurais
GUIA CONTÁBIL ONLINE
Balanço de Abertura
Procedimentos para Validade e Eficácia dos Instrumentos de Escrituração
Operações de Factoring
ORIENTAÇÕES
Comerciantes Esquecem da DME
Como Recuperar o Recibo do Imposto de Renda?
ENFOQUES
Crédito PIS e COFINS do Imobilizado – Receita Estipula Restrição
ECF Tem Nova Versão
Empresas do Simples Nacional São Obrigadas a Aderir ao eSocial?
ARTIGOS E TEMAS
Como se Tributa a Indenização Patrimonial?
A Selva Tributária e a Contabilidade
PUBLICAÇÕES PROFISSIONAIS ATUALIZÁVEIS
eSocial: Teoria e Prática – Alerta: o eSocial será de utilização obrigatória por todas as empresas a partir de Julho/2017!
IPI – Teoria e Prática
Cálculos e Créditos do PIS e COFINS

 

ICMS-ST: SP Esclarece Tratamento na Diferença de Preço ao Consumidor

Através do Comunicado CAT/SP 6/2018 foi esclarecido sobre o direito do ressarcimento do ICMS devido por substituição tributária em S.Paulo, cuja operação final com mercadoria ou serviço seja efetuada com valor inferior à base de cálculo presumida.

Para o fisco paulista, somente haverá direito ao ressarcimento do imposto pago antecipadamente pelo regime de substituição tributária, em virtude de operação final com mercadoria ou serviço com valor inferior à base de cálculo presumida, nas situações em que o preço final a consumidor, único ou máximo, tenha sido autorizado ou fixado por autoridade competente (§ 3º do artigo 66-B da Lei estadual 6.374/1989).

Nos casos em que a base de cálculo do ICMS devido por substituição tributária não é fixada nos termos do artigo 28 Lei estadual 6.374/1989 (preço final a consumidor, único ou máximo, autorizado ou fixado por autoridade competente), não será objeto de ressarcimento o valor do imposto eventualmente retido a maior, correspondente à diferença entre o valor que serviu de base à retenção e o valor da operação realizada com consumidor final.

Veja também, no Guia Tributário Online:

Manual Prático e Teórico da ST Aplicável no Estado de São Paulo. Contém Exemplos de Cálculos e Normas Aplicáveis ue facilitam a absorção do entendimento. Indicado para quem vende em S.Paulo ICMS – Substituição Tributária – São Paulo 

Mais informações

Edição Eletrônica Atualizável

ComprarClique para baixar uma amostra!

Boletim Tributário e Contábil 15.05.2018

Data desta edição: 15.05.2018

IRPF
Como Posso Saber se Minha Declaração IRPF Está OK?
GUIA TRIBUTÁRIO ONLINE
PIS e COFINS – Efeitos da Contabilização dos Créditos da Não Cumulatividade
Contribuição Confederativa ou Assistencial – Limites de Cobrança
IPI – Reajuste de Preços
GUIA CONTÁBIL ONLINE
Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital (AFAC)
Ações ou Quotas em Tesouraria
Diferencial de ICMS na Aquisição do Imobilizado
ENFOQUES
Simples Nacional: Empresas Paulistas Terão que Emitir NF-e
ICMS: Assembleia Legislativa de SC Mantém o ICMS em 17%
ORIENTAÇÕES
Créditos PIS e COFINS: Fretes
Quais Débitos Podem Ser Incluídos no Parcelamento Simples PERT?
ARTIGOS E TEMAS
EFD ICMS/IPI – Inclusão de CFOPs e Vedações
Retificação da ECF
PUBLICAÇÕES PROFISSIONAIS ATUALIZÁVEIS
Recuperação de Créditos Tributários
Manual do Simples Nacional
Gestão de Finanças Empresariais
Agora também aceitamos pagamentos em Bitcoins!
Central de Atendimento ao 

 

%d blogueiros gostam disto: