Governo x Contribuintes: Adiamento do Crédito do ICMS é Aprovado pela Câmara

Maracutaia: conforme notícia veiculada na Agência Câmara de Notícias o Plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei Complementar 352/02, do Senado, na versão de uma emenda que adia, de 1º de janeiro de 2011 para 1º de janeiro de 2020, a data a partir da qual as empresas poderão descontar, do ICMS, os respectivos créditos sobre materiais de uso e consumo, energia elétrica e serviços de comunicação.

Enquanto o governo aumenta tributos, de forma indireta, os contribuintes, já sobrecarregados com a fúria arrecadatória, percebem que nada mudou no Brasil, e que somente uma mobilização nacional poderá desatar os rumos da atual escravidão tributária do brasileiro.

A emenda aprovada, de autoria do deputado Rodrigo de Castro (PSDB-MG), foi assinada por vários partidos e adia o uso dos créditos do ICMS.

Segundo o relator da matéria pela Comissão de Finanças e Tributação, deputado Virgílio Guimarães (PT-MG), essas prorrogações são sucessivas porque os estados não se prepararam para honrar os créditos que estavam previstos para serem aproveitados.

Como diria Boris Casoy: “isto é uma vergonha!”, pois desde o início de 1997 a utilização dos créditos vêm sendo prorrogados, será que 14 anos não são suficientes para os governos se prepararem? Desculpa esfarrapada!

A matéria ainda retornará ao Senado para nova análise, mas aparentemente essa batalha está perdida, pois na Câmara o texto teve 340 votos a favor, 7 contra e 2 abstenções. Somente 7 deputados federais estão ao lado dos contribuintes!

Veja nos comentários abaixo quais deputados foram contra o aumento tributário – enviamos mensagem de agradecimento a eles por não terem se rendido à pouca consideração com que tem sido tratado o contribuinte neste país!

6 comentários sobre “Governo x Contribuintes: Adiamento do Crédito do ICMS é Aprovado pela Câmara

  1. Conforme pesquisa no Portal da Câmara, os seguintes deputados votaram contra o adiamento dos créditos do ICMS – parabéns a eles, por manterem sua independência e não concordarem com a espoliação dos contribuintes:

    1.Major Fábio – PB
    2.Paulo Bornhausen – SC
    3.Fernando Chiarelli – SP
    4.Miro Teixeira – RJ
    5.Márcio França – SP
    6.Marcelo Itagiba – RJ
    7.Marcelo Almeida – PR

    Encaminhamos uma mensagem de agradecimento a cada um dos deputados acima, reconhecendo a importância de se manifestarem contra o imperialismo tributário e incentivando-os a continuar buscando a justiça, a ordem, e a liberdade de todos os brasileiros.

    Leia a manifestação enviada por nós a cada um dos deputados acima:

    “Em nome da equipe do Portal Tributário, venho manifestar gratidão por seu posicionamento independente, ao votar contra o adiamento dos créditos do ICMS (PL 352/02). Quiçá outros possam seguir seu exemplo, e reagir contra a espoliação dos contribuintes e a fúria arrecadatória. Não desista desta luta, estamos acompanhando as votações de matérias tributárias e divulgando-as ao nosso público – o contribuinte merece respeito – chega de aumento de impostos neste país!” – Júlio César Zanluca

    Curtir

  2. Infelizmente, é uma vergonhosa exploração tributária, e essa esmagadora votação a favor do roubo declarado foi aprovado por homens que colocamos lá em cima para nos representarem. Conclusão: ainda não sabemos votar!

    Curtir

    • Recentemente num comentário disse que o brasileiro vota como quem escolhe um bonecos de judas sobre os quais podemos atirar as pedras de nossas próprias culpas, somos culpados quando aceitamos a corrupção do guarda de trânsito, quando compramos CD’s piratas, quando embolsamos o trôco que nos fôra passado à maior, quando atiramos lixo nas ruas, rios e encostas, quando cruzamos os braços às injustiças sociais.
      Escolhemos os candidatos sem nos comprometer, muitos vendem ou trocam seus votos, e, nos elegemos, eles são produtos do meio, são como a maioria de nós, é por esta razão que não são cobrados de forma incisiva pelo povo. E pagamos o ônus da questão, alta carga tributária para financiar os mensalões, assistencialismo, vagabundagem e corporativismo.
      E nós? Nós continuamos jogando as pedras de nossas culpas nos bonecos de judas que elegemos.

      Curtir

  3. Zanluca, por favor disponibilize o link onde a população possa acessar os nomes dos 340 outros deputados que votaram contra.

    E que nos lembremos desses nomes, pois são graças a eles que vivemos essa “escravidão tributária”.

    Curtir

  4. De fato é um absurdo essa tomada de decisão por parte dos nossos representantes, como também é um absurdo sermos livres para demonstrar toda nossa indignação, por meio de manifestações públicas, caminhas, plebicito, etc. – realmente sermos ouvidos e principalmente respeitados como cidadãos e não fazemos isso, simplesmente fazemos comentários de indignação em um site e no outro dia voltamos a nossa vida de antes…as vezes me pergunto, o Brasil pra ser livre como é hoje, quantas pessoas deram suas vidas, foram torturadas, exiladas, foram realmente pro campo de batalha lutar por liberatação, lutar pelos seus direitos…e hoje se tivessemos que fazer os mesmo, passar por tudo, será que poderiamos fazer pelo menos a metade do que foi feito…felizmente isso não vai acontecer, temos que nos despertar, lutar pelos nossos interesses e fazer valer cada centavo arrecadado do meu e do seu suor, que ele não seja um instrumento de corrpção e picaretagem como hoje….sejamos integros, honestos em tudo, pois devemos fazer tudo como se fosse pra Deus, fazer sempre o nosso melhor.

    Curtir

Deixe uma resposta para Portal Tributário Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s